Fandom

Protopia Wiki

O que é anarquismo

1 764 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Discussão0 Share

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Anarquismo para Principiantes
Poe Sabbot


Existem muitas definições de anarquismo. A mais clássica delas o define como teoria e prática que considera todas as doutrinas hierárquicas de governo e controle como opressivas, indesejáveis e nocivas, devendo portanto, serem abolidas. Esta perspectiva abrange não só o estado nacional propriamente dito, mas também o capitalismo e outras instituições como as religiões clericais e as famílias patri ou matriarcais. Etimologicamente, o termo 'anarquismo' vem da junção das palavras gregas 'an' (que signifiva 'sem') + 'archos' (dominadores ou dirigente).[1]


Afirmações ácratas

Legitimidade: Nenhuma organização autoritária (seja capitalista, estatal, religiosa etc...) pode ser considerada moral ou eticamente legítima em sua teoria ou prática.
Conveniência: Toda a forma de autoridade e autoritarismo é desnecessária, e resulta em mais males do que bens para as populações que se submetem a ela.
'Abolição: É legítimo lutar pela abolição de todas as instituições e organizações autoritárias desde que os meios escolhidos não impliquem eles próprios em práticas autoritárias ou reforcem outros autoritarismos.
'Potencialidade: As organizações autoritárias (ie. Estado e Capitalismo) devem ser combatidas, não tanto pelo formato atenuado que podem apresentar em determinado momento, mas por poderem tornar-se muito mais letais posteriormente.


  1. Qual é a finalidade correta da autoridade?
  2. Qual é a medida correta da autoridade?

Um argumento anarquista responde a primeira pergunta com a certeza de que «Não existe uma finalidade correta», e a resposta para a segunda pegunta ainda nesta linha de argumento seria «nenhuma». O anarquismo refuta completamente a autoridade, tome a forma que tomar, com base na experiência humana de milhares de anos que deixa claro ser o fato de onde quer que haja concentração de poder, haverá abuso de autoridade. Os ácratas, portanto, opõem-se a toda forma de Estado seja ele amplo ou limitado, máximo ou mínimo, elitista ou populista.

«"Anarquismo não é uma fábula romântica mas a realização consciente, baseada em cinco mil anos de experiência, de que não podemos confiar o gerenciamento de nossas vidas à reis, padres, políticos, generais e executivos.
(Edward Abbey, A Voice Crying in the Wilderness (1989))


VertentesEditar

Apesar de todas as vertentes do anarquismo fazerem oposição à formas autoritárias, existem variações sobre questões significativas, não só em torno da ideia de autoridade e suas manifestações, mas também com relação às estratégias, prioridades e estéticas, em resumo, ao caminho a ser seguido.

Apesar de estarem de acordo sobre a periculosidade do autoritarismo quando o formato assumido por ele é o estado, diferentes grupos discordam sobre o caráter da propriedade e da organização em torno dos meios de produção de bens e serviços, bem como sobre o entendimento em relação às ideias de organização, ciência, razão, coletivo, indivíduo e propriedade.

Ainda que grupos plataformistas e especifistas busquem constituir organizações com base na unidade. Esta falta de unidade não é considerada propriamente um problema da perspectiva de muitos destes grupos, pois reflete a diversidade de um movimento que não nunca se pretendeu homogêneo. Há anarquistas que consideram que esta homogeneidade só poderia se efetivar através da autoridade ou da desconsideração das diferenças em torno de questões importantes que muitas vezes estão baseadas não em fatos, mas em pré-concepções.

Vejamos então algumas das vertentes anarquistas e suas principais diferenças:

O Anarquismo filosófico é a mais antiga corrente anarquista da modernidade, seu fundador William Goodwin formulou as primeiras teorias em torno da política e da economia no anarquismo. O anarquismo filosófico foi, em grande medida, mais um precedente do anarco-individualismo do que do anarco-comunismo, uma vez que defendeu a soberania do indivíduo frente a existência de um estado mínimo temporário considerado um "mal necessário". Estes indivíduos, portanto, não teriam uma obrigação moral de obedecer o estado quando seus ditames entrassem em conflito ou colocasse em risco sua autonomia individual.

Na política e na economia o anarquismo filosófico sugeriu a necessidade dos indivíduos atuarem de acordo com seus próprios julgamentos e permitir a todos os outros indivíduos a mesma liberdade.

Por outro lado Goodwin se opôs ao levante enquanto meio de libertação dos indivíduos, se afastando das diversas correntes insurreicionistas e revolucionárias que surgiram depois ao apostar no "estado mínimo" como um "mal necessário" para esta transformação.

Referências

  1. Existem termos que são sinônimos de anarquista - eles são ácrata e libertário, sendo este último cunhado por anarquistas pacifistas que queriam afastar suas ações daquelas empreendidas por anarquistas insurreicionários.

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória