Fandom

Protopia Wiki

Lobos em Pele de Cordeiros

1 764 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Discussão0 Compartilhar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

AltDelCtrl

««homem algum jamais foi verdadeiramente autoridade, ou trouxe algum proveito ao outro por sê-lo»
(Sören Kierkegaard)


Na escura floresta da existência humana, em meio a penumbra do tempo, os sacerdotes do autoritarismo urram e espreitam. Se alguém me pedisse para formular uma hipótese para o surgimento do estado. Eu diria que surgiu a não muito tempo se comparado a existência dos humanos, surgiu de ameaças bem arquitetadas, como uma máfia que cobra para fazer a segurança de uma vizinhança assolada por seus próprios membros.

Aterrorizar para governar. Não é coincidência o fato dos melhores cães pastores descenderem diretamente dos lobos. A floresta humana está repleta de não-coincidências, para quem consegue enxergar por entre a sombra.

Tomando por sagrado o seguro, os templos da antiguidade por vezes tinham também a função de fortalezas para as quais os fiéis poderiam ir frente a qualquer ameaça ou risco. Apostaria minhas pedras na possibilidade da segurança corpórea e espiritual coincidir com um certo empoderamento de castas sacerdotais, surgidas das máfias de "escolhidos pelos deuses", para comandar os demais, orientar-lhes o entendimento de tudo.

Legitimada pelas divindades a desigualdade finalmente pode ser institucionalizada em uma miríade de formas diferentes, dos Andes ao Himalaia, guias, pastores de dentes afiados em pele de cordeiro. Era então o início de tudo e mais de um de vocês poderia pensar - "não parecia ser assim tão mal, e se fosse, talvez fosse também um mal necessário".

Nada como uma ovelha fazendo apologia... ao lobo e ao pastor...

Eis aí uma lição subscrita na penumbra do tempo: não devemos ser contra o estado seja qual forma amena ele possa se apresentar. Devemos ser contrários a ele pelas potencialidades genocidas, malévolas e destrutivas que, ainda latentes, uma hora ou outra poderão se fazer presentes com suas consequências desastrosas. Em suma, em tempos de democracia banguela não lutemos contra o estado (e o capital) pelo que eles são, a forma atenuada em que possam por ventura se encontrar. Lutemos sobretudo por toda a sorte de inferno e maldição que eles podem vir a ser.

Mais de um lobo poderá se vestir de vovozinha com o argumento de que não é bem assim. Pois bem, faço minhas as questões colocadas a mais de um século por um velho anarquista que ousou defender um jovem infrator a caminho da guilhotina.

"Quem é o autor de toda essa interminável procissão de torturas que tem sido a história da raça humana - quem é responsável por estes banhos de sangue, sempre com a mesma crueldade, sem descanso nem misericórdia?" Não sou tolo o bastante para não lhe expropriar também a resposta. "Governos, religiões, indústrias, campos de trabalho forçado, todos eles estão encharcados de sangue."

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória