Fandom

Protopia Wiki

Encontre-se

1 764 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Discussão0 Share

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

A Insurreição a Caminho
Comitê Invisível


(Versão em Inglês)

((carece de revisão))

Segure-se ao que você sente ser verdade.
Começe daí.


Um encontro, uma descoberta, uma grande greve, um terremoto: todo evento produz verdades por mudar nosso modo de ser em meio ao mundo. Por outro lado, um relatório oficial que é indiferente para nós, que nos deixa inalteráveis, que nada nos engaja, nunca pode ser chamado de verdade. Existe uma verdade por tráz de todo gesto, toda prática, todo relacionamento, e toda situação. Temos o hábito de evitar domá-la, o que produz a distração característica da maioria das pessoas hoje em dia. Na verdade, tudo está ligado. O sentimento de que você está vivendo em uma grande mentira é também verdade. Mas você tem o dever de não deixar isso ir, e começar a partir daí mesmo. Uma verdade não é uma visão de mundo; uma verdade é algo que nos amarra à ela de maneira irredutível. Uma verdade não algo que você segura, mas o que segura você. Isso me faz e desfaz, isso é minha constituição e destituição como um indivíduo; isso me distancia de muito, mas me aprocima daqueles que sentem o mesmo. Um ser isolado, ligado a isso irá inevitavelmente encontrar um companheiro algum companheiro. Na verdade, todo processo de irresureição começa de uma verdade que se recusa a desistir. Em Hamburgo, 1980, um punhado de ocupantes de [uma casa squatted] decidiram que eles queriam apenas serem expulsos de seus corpos mortos. Toda a vizinhança foi sitiada por tanques e helicópteros; dias se passaram com batalhas de rua, demonstrações monstruosas - e, finalmente, o prefeito deu dentro. Geoges Guingouin, o "primeiro lutador françes pró-resistência" em 1940 não tinha nada além da certeza que resistiu à ocupação Nazi. Naquele tempo, o Partido Comunista chamou ele "somente algum louco vivendo da floresta"; e eles continuaram a pensar dessa formar até 20 mil desses loucos vevendo na floresta libertassem Limoges.


Não evite o aspecto político envolvido em todas as amizades.


Nós crescemos com uma ideia neutra de amizade, como uma afeição pura sem consequencias. Mas todas as afinidades são afinidades dentro de uma verdade comum. Todos os encontros são encontros dentro de uma afirmação comum, mesmo uma de destruição. Não há conexões inocentes em uma era onde para segurar-se a alguma coisa e não deixar isso ir, regularmente põe as pessoas fora do trabalho, uma vez que você tem que mentir para trabalhar em determinado emprego e você tem o trabalho como um meio de manter mentiras. Pessoas que juram que poderiam aplicar a física quântica à tudo e desenham as conclusões aporpriadas disso são não menos que politicamente conectada uma a outra assim como os camaradas que lutam contra um complexo industrial munti-nacional também o são. Eles sempre serão mais cedo ou mais tarde desertados e combatidos.


Os fundadores dos movimentos trabalhistas tiveram a oficina e em seguida a fábrica para encontrar uns aos outros. Eles fizeram greves, onde poderiam se levantar e serrem contados, e desmascarar os covardes entre eles. Eles tinham a relação salarial, que colocou o partido da Capital e o Partido do Trabalho um contra o outro, para traçar solidariedade e criar frentes de batalha em um nível global. Nós temos todo os espaço social para nos encontrar-mos. Nós temos o comportamento subversivo de todo dia para se levantar e ser contado, para desmascarar os covardes.


Não espere nada das organizações.
Desafie todos os meios existentes
e sobre tudo, se recuse a se tornar um.


Não é um evento raro, no curso das consequentes desafiliações, cruzar caminhos com organizações - política, sindicalista, humanitária, organizações comunitárias, etc. Até resulta que cada um se encontra com seres sinceros mas desesperados, ou seres entusiásticos mas espertos. A atração das organizações é sua subestância aparente - eles tem uma história, uma sede, um noome, recursos, um líder, uma estratégia e um discurso. Eles tem, todavia, uma arquitetura vazia, tendo todo cuidade de preencher o respeito que eles acreditam ser por suas origens heróicas. Em tudo e em cada um dos seus níveis, estão interessados apenas com sua sobrevivência enquanto organização, e nada além disso. Suas repetidas traições tem, portanto, mais frequentemente do que não alienado sua [rank-and-file membership’s] aderido a eles. E é por isso que pode-se ocasionalmente encontrar alguns respeitáveis seres entre eles. Porém os promissores contidos em tais encontros irão apenas serem ábeis à realizar algo fora das organizações, e, necessariamente, contra elas.


Muito mais assustadores são os ambientes, com sua textura flexível, seus murmuros maliciosos, e suas hierarquias informais. Fugir desse ambientes. Cada uma das pessoas que as compõem é como um agente de neutralização da verdade. Ambientes literários estão lá para reprimir a obviedade dos escritos. Ambientes anarquistas estão lá para reprimir a obviedade da ação direta. Ambientes científicos estão para deter o que suas pesquisas podem sugerir a partir de hoje para a maioria das pessoas. Meios esportivos para conter diferentes maneiras de vida entre seus membros que podem conduzí-los à diferentes tipos de esportes. O que devem ser evitados em especial, são os ambientes militantes e culturais. Eles são o clássico povo para onde todos os desejos revolucionários tradicionalmente rumam a morte. A tarefa de ambientes culturais é de localizar nascentes intensas e subtrair-las do significado de tudo que está sendo feito para explicá-la - e a tarefa dos meios militantes é de roubar sua energia para as explicar. Ambientes militantes prolongaram sua difusão pela web por todo o território françês, e todos os encontros no caminho de se tornar revolucionário. Eles são os únicos portadores de suas derrotas e amarguras que conseguem de si mesmos. Sua usura e os excessos de sua impotência tornaram-os inadequados para compreender as possibilidades do presente. Eles falam demais, mesmo assim, em todas as suas tentativas de decorar suas infelizes passividades; o que torna arriscado demais para eles ficarem ao redor, em termos policiais. Desde que é inútil esperar qualquer coisa deles, seria estúpido se decepcionar pela forma como eles são fossilizados. É o suficiente para deixá-los morrer.


Todos os meios são contra-revolucionários, porque seu negócio é apenas a preservação de seu próprio e insignificante conforto.
Organize em comunidade


Comunidades vêm no momento em que as pessoas se encontram, entendem umas as outras, e decidem seguir adiante juntas. A comunidade em si toma a decisão quanto ao momento em que talvez for útil acabar-se. É a alegria dos encontros, sobrevivendo à asfixia obrigatória. É o que nos faz dizer "nós", e que faz daquilo um evento. O que é estranho não é as pessoas que concordam com outra forma de comunidade, mas que permaneçam separadas. Por que não proliferar comunidade em qualquer lugar? Em cada fábrica, em cada rua, cada vila, cada escola. No último verdadeiro reino das comissões de base! Nós precisamos de comunidades que aceitam ser como realmente são, e onde estão; uma multiplicidade de comunas, substituindo instituições sociais: família, escola, sindicatos, clubes esportivos, etc. Nós precisamos de comunidades que, do lado de fora de sua atividade política específica, não tenham medo de se organizarem para a sobrevivência material e moral de todos os seus membros e todos os perdidos que os cercam. Comunas que não se definem - como coletivos tendem a fazer - por o que está com elas e o que não está, mas pela densidade de conexções que há em seus núcleos. Comunas não definidas pelas pessoas que a fazem crescer, mas pelo espírito que os anima.


Uma comunidade é formada sempre que poucas pessoas, livres de suas jaquetas apertadas, decidem confiar apenas em si mesmas e usar suas forças contra a realidade. Toda greve arriscada é comunidade; toda casa ocupada coletivamente em uma fundação vazia é comunidade; a ação dos comitês de 1968 foi comunidade, como eram as aldeias de escravos fugidos, nos Estados Unidos, ou também a Rádio Alice em Bologna, 1977. Toda comunidade precisa ser baseada em si mesma. É necessário trazer a questão da necessidade de um final. É preciso esmagar toda a submissão política e dependência económica, e degenerar meios sempre que se perde o contato com as verdades que ele fundou. Há todos os tipos de comunidade agora que não estão à espera de ter os números, ou os recursos, ou muito menos o "momento certo" - que nunca vem - para se organizarem.


A Insurreição a Caminho
Organize-se Encontre-se Adiante-se

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória