Fandom

Protopia Wiki

A Tomada

1 764 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Discussão0 Compartilhar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Sin.patrón.jpg
A Tomada
Informações sobre o filme
Nome original

The Take

Diretor(es)

Avi Lewis e Naomi Klein

Idioma original

Inglês e Castelhano

Lançamento

2004

Duração

87 min

«Demita o Patrão. Ocupar, resistir e produzir!»


No culminar do colapso econômico da Argentina em 2001 e quando a contestação social invade as ruas de Buenos Aires, num subúrbio da cidade portenha trinta trabalhadores desempregados de uma empresa de auto-peças instalam-se na fábrica falida, colocam esteiras para dormir e recusam-se a sair. Se os responsáveis pela especulação financeira do país e os gestores ultra-liberais que arruinaram a economia empresarial deram de frosques, sobejaram as máquinas e, como sempre, a massa de explorados. Neste período de crise (que passou em franjas da sociedade argentina pela fome…), os espoliados pensam em garantir o seu sustento: querem ligar as máquinas paradas e trabalhar. O simples acto - a “tomada”, termo que se generalizou na Argentina para designar os movimentos de ocupação de fábricas falidas pelos trabalhadores - questiona a gestão das empresas pondo em causa os mecanismos de poder de uma minoria que gere uma maioria autocraticamente de cima para baixo, impondo não raras vezes o lucro (e a mentira do lucro) como o único sustentáculo dessa relação. Os “tomadores” descobrem a democracia direta e de base popular, enfrentam os patrões, banqueiros e um sistema que vê nas suas amadas fábricas (cuja ruína é a outra face dessa política de amor-ao-lucro) como nada mais do que sucata para venda.

Com "A Tomada" (The Take), o realizador Avi Lewis (jornalista canadense) e Naomi Klein (autora do livro No Logo) apresentam um radical programa econômico para o século 21, onde a autogestão representa uma possibilidade de dignidade humana: os trabalhadores sentem a necessidade de fugir à exploração capitalista e de viver de um modo digno, garantindo condições mínimas materiais de existência e condições máximas de desenvolvimento pessoal e colectivo.


DownloadEditar


TrailerEditar

400px|left



Filmes

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória